Mal de Montano

Capítulo inédito…Trabuzana

 PANDORA MALDITA FECHA LOGO ESSA CAIXA DIACHO      

Por Evandro Affonso Ferreira

TRABUZANA 

Capítulo 1 

Tau! cortei num átimo teia da vida dela; ciumaria; apre tarântula dele ciúme tripetrepe rasteja desde sempre nele meu peito; zuruo-zoropitó sim amigo concordo sou sim arre lá! quero falar mais não chega ixe pudesse jogava passado meu aos ventos aos cães cousalousa. 

Tântalo tutumumbuca frígio aquele apre cortou seu filho Pélope em pedaços servindo-o à mesa num banquete oferecido aos deuses. 

Sim amigo huifa fulgente resplandecente huummm se Rembrandt Goya quejandos conhecessem minha deusa-sorriso-lítio-olhar-prásino ixe frenesi pictórico daqueles; sim amigo concordo terreno resvaladiço espada de Dámacles aie impossível relacionamento deste naipe não caminhar para o ocaso; a-hã escamurrengado puh 70 e um anos; tenho sim; ela huifa tinha 20 e sete; florescência da vida diriam poetas contemporâneas dela minha juventude; não neca neres engano seu amigo; gostava sim; amor verdadeiro mutatis mutandis a-hã deixamos nunca-jamais nenhum traço de hesitação; antes dela minha deusa-enternecedora hã vida toda apre recheada delas pequenas insignificâncias; depois huifa significação ampla luminosidade absoluta; sim amigo a-hã aie estrada sinuosa tortuosa que tais puh viagem será longa. 

Tempos idos indivíduos da raça humana lançaram a primeira bomba atômica sobre a cabeça de 150 mil seres da mesma espécie.   

Ufa incandescência daquelas apre camburão-calor-abrasador ixe viagem longa-vulcânica diacho; sim amigo a-hã seis meses de mimosura huifa olhar-sorriso dela minha-deusa-êxtase lançava incontinenti azeite ao fogo; rejuvenescência amigo rejuvenescência; antes dela zás-trás apresentar-se pela primeira vez aos meus olhos hã dizia ad nauseam alto-bom-som que envelhecer é catalogar perdas; hoje seis meses depois puh sou obrigado a insistir nele adágio pirrônico: envelheceer é catalogar perdas; precisaria diacho decorar cantos dos arvais para conjurar todos eles lêmures assassinos que desarvoram ainda mais meus pesadelos noturnos; Pandora maldita fecha logo essa caixa diacho; sim amigo aceito bituca dele seu cigarro huummm ixe minha deusa-verdor-dos-anos estivesse aqui agora diria com voz filípica apre meu doce avelhantado lembre-se dela sua tosse intermitente; tau! som dele estalido do revólver continua zunindo aqui neles meus ouvidos dia todo noite inteira semana toda; quero morrer amigo hã vida agora fiau! desnecessária; sim empresto meu livrinho de cabeceira a-hã A CASA DAS BELAS ADORMECIDAS huummm Kawabata ixe pobre-diabo cortou ele mesmo fio dela própria vida; arakiri; A CASA DAS BELAS ADORMEDIDAS… não é exatamente um livro eh-eh é uma pequena-singela caixinha de jóias raras… Kawabata… huifa… magistral… a-hã empresto sim. 

6 milhões de seres humanos foram exterminados durante os 12 anos de perseguição nazista contra os judeus. 

Deveria diacho ter seguido exemplo deles freqüentadores revelhuscos do bordel aquele das belas adormecidas hã encostar nunca-jamais dedinho sequer no corpo dela minha deusa-albor-tênue; quero estragar leitura não mas livro aí dele Kawabata conta história dum bordel  japonês cujos freqüentadores são todos homens ixe velhez que só vendo puh último quartel da vida eh-eh prazer final dormir ao lado delas belas adormecidas; sim amigo contar mais não a-hã concordo tiraria sabor dele ineditismo ixe camburão-fornalha este aqui apre vulcânico plutônico cousalousa. 

Num período de sete anos 700 seres humanos foram queimados vivos pela Inquisição apenas na cidade de Sevilha. 

Sim amigo livro lindíssimo a-hã sei sei difícil demais ler tranqüilo dentro dele camburão-chocalhante apre; a-hã concordo Kawabata é magnífico; minha deusa-sonho-de-Alnaschar morreu sem abrir caixinha de jóias raras essa aí nele seu colo; pena; presente meu ficou intacto semana toda sobre criado-mudo dela; labirintite; a-hã pobrezinha ixe crises incríveis de labirintite; sim amigo verdade aie penso nela coração se confrange peito apre fervença danada ixe olhos hã bamboleadura lacrimal daquelas; tau! estrépito dele revólver puh continua estrugindo aqui neles meus ouvidos; huummm cabeleira dela rente cércea escassa talhada consoante rostinho donairoso inefável fagueiro quejando huifa olhos verdecência-trêfega huummm lábios-nec-plus-ultra huummm dulcífico huummm minha deusa-alvoroço-de-esperança huifa formas suaves torneadas huifa deslumbrativa; sim amigo digo-repito zelotipia apre pertenci desde sempre à raça de Otelo ixe tempo todo enroscado pela serpente do ciúme diacho; sim concordo impossível eh-eh mais fácil possuir dom dela ubiqüidade do que romance aquele hã você sabe; alguém disse concordo  velhos são eunucos do tempo; romance aquele puh natimorto; fogo-fátuo; Sol não pode viver perto da Lua diz cancioneiro popular; esperança amorosa de velho revelhusco feito eu descamba sempre neles arrazoados sofísticos; agora fiau! amargar viuvez dupla nele cárcere; a-hã primeira mulher morreu vinte anos atrás; infarto fulminante; não amigo neca neres filho nenhum a-hã sou sempre fui infrutífero; apre estrada pedregulhosa puh boa paga para meu tabaco. 

Epidemias terríveis de peste dizimaram populações inteiras na Europa durante a Idade Média. 

Entendi a-hã belas adormecidas dormiam tempo todo hã percebiam neca neres jeito nenhum com quem passavam a noite a-hã amigo já chegou naquela parte em que freqüentador está deitado ao lado dela garota virgem a-hã revelhusco não resiste encosta levemente dedinho na ponta do bico do seio huifa cena enternecedora huummm Kawabata mestre-remestre na arte das sutilezarias se assim podemos dizer a-hã Kawabata oigalê! gênio assombroso; sim foto 3×4 dela minha deusa-alma-de-ilusões huummm sorriso nosomântico talismântico cousalousa huummm olhar fecundo astuto sim concordo olhar flama-de-inteligência; melhor rasgar; ufa camburão estuante estuoso que tais; amor excessivo feito ele meu modo geral descamba sempre numa tirania qualquer à
la Pisístrato por exemplo eh-eh; amor excessivo vira feudo açambarcamento monopólio usucapião; amor excessivo fiau! dá em água de barrela; sempre; sim bem observado puh 71 versus 27 ixe débâcle esborralhada ab initio; mas diacho mesmo depois de velho consigo jeito nenhum refrear coração-escamurrengado-implorante este aqui que vida toda talha derrota pra ele grande-recíproco-amor; arquitetura da imaginação; mas agora aie morrer nele cárcere; omnia mea mecum porto.
 

A guilhotina funcionou na França pela primeira vez em 25 de abril de 1792. 

Sei entendi você não quer falar dele seu crime a-hã entendi respeito almas sopitantes reticenciosas criptográficas eh-eh fiz amigo esboçar sorriso; minha deusa-frêmito-dela-esperança dizia sempre alto-bom-som ixe meu poeta revelhusco chanceiro você catalogou sabe-se lá como Caldas Aulete inteiriinho nele seu cérebro; gosto sim delas palavras gosto sim; nós dois exempli gratia somos carrascos verdugos carnífices vitimários executores algozes assassinos homicidas abutres feras humanas a-hã bem lembrado: tuques moloques sicários; penseu nunca-jamais exercer cruéis extintos de ferocidade diacho puh ciúme hã ácido prússico dele amor; força daimônica; sim amigo verdade a-hã olhos umedecidos; tau! estrompido dele revólver continua atordoando tímpanos aqui; eu feito ela Antígona puh estou desde sempre determinado para a dor. 

No século XIX fiat lux surgiram a espingarda de percussão o revólver o cartucho a granada as armas de repetição. 

Nosso primeiro encontro huummm sublimidade absoluta; fui tirando a roupa numa lenteza que só vendo hã minha deusa-deslumbramento seja paciente comigo estou entorpecido de medo receio ixe sexo caiu em desuso pra este velho escanzelado aqui há quinze anos quase; viuvez in extenso; sim amigo alma oscilava entre dois extremos hã tomaria iniciativa ou deixaria que ela lançasse os alicerces da faguice huifa aconteceu: minha deusa-labareda huummm nua de pé vis-a-vis encostou minha mão tremelicosa sobre pêlos púbicos pulcros dela huifa momentos todos etéreos huummm esquecerei jeito nenhum quando encostava lábios meus no corpo-jambo dela huummm primo móbile; Dante talvez tenha sentido a mesma sensação quando ele-Beatriz se ascenderam ao Céu.   

Sócrates filósofo aquele que desde sempre procurou desbastar a rudeza dos ignorantes fiau! foi preso-condenado a envenenar-se tomando cicuta. 

Sim amigo a-hã velho Eguchi… bem lembrado… enquanto simulava carícias nela virgem profundamente adormecida hã mergulhava em recordações de outrora… Kawabata… magistral… sim amigo pode ler em voz alta… DENTRE TODOS OS ANIMAIS, SOMENTE A FORMA DOS SEIOS DA MULHER TENHA ADQUIRIDO, APÓS LONGA EVOLUÇÃO, UM FORMATO TÃO BELO. O ESPLENDOR ALCANÇADO POR ELES NÃO SERIA A PRÓPRIA GLÓRIA RESPLANDECENTE DA HISTÓRIA DO SER HUMANO?… ixe tivesse talento literário dele huifa diria horas seguidas sobre ele corpo conchegativo-jambístico dela minha deusa-delícias-de-Cápua; apre viagem-bazazel aie calor excruciante. 

Verdade concordo você-eu mesmo destino puh terminar vida-trabalho-de-sísifo numa chifanga qualquer nele cornimboque do Judas; vida puh conclusão manca; a-hã: triquestroques; viver é perder a tramontana a miúde; sei sei amigo aí foi feliz nunca-jamais vida toda; entendi: 40 anos ominosos sombrios cousalousa; posso jeito nenhum dizer mesma coisa huifa seis meses ao lado dela minha deusa-jambo huummm esplendidez absoluta apre pena que xô melhor esquecer situação brenhosa abstrusa aquela que tau! diacho restolho dele revólver continua atroando neles meus ouvidos. 

Federico (la cruz punto final del camino) Garcia Lorca preso durante a guerra civil espanhola hã fuzilado pelos franquistas. 

Ixe súbito saudade atassalha peito cafangoso deste velho banazola; deusa-jambo huifa transportava-me em êxtase: vem meu poeta prístino huummm quero sentir sua língua-pluma rastejando neles quatro pontos cardeais dele meu corpo-frescor-da-mocidade; huummm sabor jambo huifa fazia meu niilismo minha descrença na raça humana cair do pedestal ficar na penumbra puh soçobrar no negro abismo da infâmia; perto dela deusa-néctar minha completitude era naturalmente panglossiana huifa vida ardia numa esperança ruidosa; a-hã olhos outra vez gotejantes; apre estrada trepidosa diacho; sim amigo aí nunca encontrou deusa neca neres coisa nenhuma neles seus 40 anos desafortunosos a-hã entendi: vida toda hã vicissitude tropelias da sorte cousalousa; mas eu também amigo eu também hã setenta anos desesperançosos; deusa-jambo aquela foi meu quase-fio-de-Ariadne; apre pena que xô tau! tiro dele revólver continua ribombando aqui neles meus ouvidos.   

Em 10 anos 36 mil jovens foram eliminados a tiro vítimas do tráfico de drogas na cidade do Rio de Janeiro. 

Sim amigo reinventar urgente outro mundo outros seres hã este aqui fiau! Pandora biraia aquela puh fechar nunca-jamais maldita caixa; vida aie troça chasco debique que tais hã melhor das hipóteses ploft desfecho vem em forma de infarto fulminante; vida eh-eh chufa motejo dela deusa-natureza; apre viagem serpejante hã camburão escamurrengado diacho; verdade concordo natureza seria duplamente derrisória se existisse exempli gratia reencarnação eh-eh recomeçar neca neres coisa nenhuma puh aeternum vale; minha deusa-jambo huifa venturosa babava-se de gosto pela vida huummm ânimo desde sempre desafogado huifa vivia em estado de bem-aventurança até que xô melhor esquecer caso estranho-imprevisto aquele ixe tau! sibilar dela bala continua ribombando aqui neles meus ouvidos; sim amigo minha deusa-couleur-de-rose a-hã fé sincera profunda ardente nela vida; mas sem utopias delírios panglossianos hã neca neres deles abalos por cantarejar de galos; íntima convicção fé desapaixonada; deusa-jambo era de temperamento naturalmente pirilâmpico; poder iluminante dela huifa; setenta longos expectantes anos huummm súbito vejo moça bonita olhos lacrimosos sentada sozinha nele banco da praça hã semana sombria aquela apre pai havia morrido recentemente ixe dor imensa ainda visitava amiúde peito aquele dilacerado hã curioso lembrar agora dele perpétuo devenir heraclitiano hum morte paterna foi o vir-a-ser dela minha nova-fagueira-fugaz vida de êxtase absoluto. 

Pode ler sim em voz alta amigo… EMBORA AQUELE FOSSE UM DIVERTIMENTO SEM COMPROMISSO PARA A VELHICE, UM MODO FÁCIL DE REJUVENESCIMENTO, O QUE ESTAVA POR TRÁS ERA ALGO QUE NÃO MAIS RETORNARIA MESMO QUE SE ARREPENDESSEM, NÃO MAIS TERIA CURA POR MAIS QUE SE DEBATESSEM. ERA EVIDENTE QUE O FATO DE A MENINA COQUETE DESSA NOITE, ANUNCIADA COMO “ËXPERIENTE”, PERMANECER VIRGEM ERA MUITO MAIS PROVA DA CRUEL DECREPITUDE DOS VELHOTES DO QUE UMA DEMONSTRAÇÃO DE CONSIDERAÇÃO E RESPEITO AO COMPROMISSO. A PUREZA DA GAROTA, PELO CONTRÁRIO, ACENTUAVA A FEALDADE DOS VELHOS… a-hã concordo Kawabata huifa magistral… raro encontrar livro assim de tamanha singeleza… a-hã autor puh suicidou-se.  

Vida toda fui ser-édipo-cego andando às tontas mundo afora esmolando amor inimaginável guiado por antígonas invisíveis; água de barrela amigo hã brutum fulmen hã sorte de Ícaro; minha deusa-jambo sim desde sempre  assoprada por eles pequenos sortilégios: ah meu poeta revelhusco dinheiro rareado vou jogar trocadinho qualquer nela máquina-caça-níquel hum dito-feito tinido delas moedas huifa sonata mozartiana; deusa-jambo-das-pequenas-carícias-da-fortuna puh deveria nunca-jamais ter seguido nova trilha tau! apre zunido dela bala continua corvejando aqui neles meus ouvidos; aie saudade imensa dele corpo jambístico aquele hum vem poeta revelhusco vem hum deixa dedos trêmulos rastrearem através deles pêlos púbicos pulcros meu sexo-néctar vem hum hum huummm. 

A-hã menina-virgem não acordava de jeito nenhum… logo cliente idoso precisava envergonhar-se neca neres dele complexo de senilidade… ganhava por assim dizer permissão de perseguir livremente suas fantasias a respeito delas mulheres… mergulhavam também em recordações… concordo eh-eh invés dele presídio camburão deveria vruummm casa delas belas adormecidas huifa Thomas Morus Tommaso Campanella Francis Bacon não foram eh-eh tão utopistas. 

Calcula-se que 3 milhões e 300 mil coreanos perderam a vida em conseqüencia da guerra. 

Também não tive filhos opção a-hã dela minha cartola sairia certamente coelhos-reveses-da-fortuna; faetonte feito eu justo seria nascer reduzido à impotência para evitar possíveis descuidos procriativos eh-eh vez em quando invento palavras; apre lassitude daquelas fiau! viagem angustiosa diacho; não amigo fui nele velório não puh me entreguei ato contínuo à polícia; sensação indescritível aie lancei-me em profunda tristeza assim que vi deusa-jambo grande infinito amor exalando derradeiro alento neles meus próprios braços ah poeta revelhusco pressuposições juízos temerários provocam desde sempre desventuras irreparáveis; sim amigo últimas palavras dela deusa-lembrança-suave-triste; a-hã preciso enxugar olhos lacrimosos; ufa camburão escamurrengado apre símile delas nossas vidas; ontem dormindo na delegacia ixe pesadelo daqueles hã acordei espavorido quando estava arma em punho diante dela deusa-jambo que súbito transformou-se num gigantesco crocodilo ufa mão braço ombro ixe laceramento pavoroso. 

Triste melancólico demais descobrir agora que lembrança dela deusa-jambo hã minha única raison d’être diacho; às vezes chegava na portaria do prédio em que ela morava recebia incontinenti bilhete hã careço deles silêncios também hã volto às pessoas nos próximos dias adeus; sim amigo a-hã temos todos nosso momento-monge-trapista mas deusa-jambo ixe vez em quando espessas nuvens hã alma-anagrama; acho que ela tinha dentro de si amor gigantesco grande demais huifa necessidade imperiosa de distribuir tudo feito bolo em fatias; sim amigo concordo sensato seria tentar quem sabe jogar facho de luz num único canto do palco; talvez; ninguém conhece jeito nenhum os abscônditos caminhos da alma humana; cinco seis dias depois de reclusão absoluta huifa vem meu poeta revelhusco vem hum hum saudade dela língua-pluma vem hum hum huummm. 

EGUCHI NÃO PODIA EVITAR A SENSAÇÃO DE FRUSTRÇÃO. QUERIA VER OS OLHOS DA GAROTA DE AR COQUETE. QUERIA OUVIR SUA VOZ E CONVERSAR COM ELA. NÃO SENTIA MUITA ATRAÇÃO POR APENAS PASSAR AS MÃOS PELO CORPO DA MENINA QUE DORMIA; PELO CONTRÁRIO, TINHA ATÉ UMA SENSAÇÃO DE DESOLAMENTO.    

A aviação norte-americana despejou mais de 15 milhões de toneladas de bombas sobre o Vietnam. 

Ixe amigo bilhetes aqueles na portaria hã cada vez mais freqüentes puh careço deles silêncios hã volto às pessoas nos próximos dias; velho bocó-brocoió aqui percebeu que volto às pessoas nos próximos dias poderia ser traduzido por volto aos poetas revelhuscos nos próximos dias fiau! deusa-alma-anagrama passava tarde noite talvez inteira com hã melhor esquecer tau! estrompido dele revólver continua ressonando aqui neles meus ouvidos; desilusão apre é bem mais antiga eh-eh que as tabuinhas micênicas; sim concordo também desisto hã nunca mais tentar correr o reposteiro desentranhar conhecer in totum escaninhos dela alma feminina; mas diacho momentos digamos teândricos aqueles huifa tatuados na alma; esquecer nunca-jamais; vem poeta revelhusco vem enrodilhe-se nele meu corpo jambístico cheinho assim de grandezas mimos que tais; puh viagem-suplício diacho. 

COMO DA OUTRA VEZ, HAVIA NA CABECEIRA DO LEITO DOIS COMPRIMIDOS PARA DORMIR. PORÉM, EGUCHI PENSOU
EM NÃO TOMÁ-LOS TÃO CEDO, PARA FICAR CONTEMPLANDO POR MAIS TEMPO A GAROTA. MESMO ADORMECIDA, ELA SE REMEXIA MUITO.
 

Curioso lembrar agora dela minha infância apre ser humano puh maldade ingênita eh-eh parafina nele meu cordel para derrubar pandorga pipa papagaio alheio; extasiante-arrebatante momento aquele em que pedra dele estilingue ploft arrebentava peito passeriforme qualquer; impossível fazer mal somente aos outros disse alguém alhures; sim amigo eqüidade-bumerangue; existe neca neres dor maior que esta aqui inflamada pelo remorso; agora em diante aie consciência inquieta hã excitar à compunção; deusa-jambo never more; pudesse apelaria para todos eles Hecatônquiros hã inútil tantos centenas deles braços fiau! deusa-jambo hoje niilidade vazio absoluto; mas antes huifa vem meu poeta revelhusco vem hum hum gostoso sentir escalada dela língua-pluma sobre verso-reverso dele meu corpo hum hum huummm.  

Erupção vesuviana destruiu Pompéia matando 2 mil pessoas. 

A-hã você não quer comentar momento exato aquele em que anhanga qualquer exerceu absoluta ascendência apre entendo respeito silêncio delas almas infortunosas; agora puh você-eu ixe dédalus desprovidos delas ariadnes; a-hã entendi amigo aí fiau! desde sempre lutando sozinho contra minotauros de todos os naipes sei sei viver é escaramuçar inutilmente hã entrar em pelejas vãs com elas soberanas Parcas; vida puh deceptio visus;  acho que ela deusa-jambo foi artes de berliques-berloques também; páramos dos sonhos deste poeta revelhusco aqui; vem huifa encosta lentamente seus lábios-trêmulos-ressequidos neles hã tau! estalido dele revólver continua atroando aqui nos meus ouvidos diacho; ixe viagem excruciante; súbito saudade dele parque infantil dela minha infância hum prazer impreciso abstrato huifa tau! tau! tau! patinhos laminados todos aqueles fila indiana catatraz! catatraz! catatraz! eh-eh sim entendi amigo aí lembrar infância neca neres coisa nenhuma ixe pai pára chega rosto dela mãe sangrando muito.  

SUA ALMA ADORMECIA PROFUNDAMENTE, MAS SEU CORPO, AO CONTRÁRIO, MANTINHA-SE ACORDADO
EM TODA A SUA FEMINILIDADE. NÃO HAVIA NELA UMA ALMA HUMANA, APENAS UM CORPO DE MULHER. ESTAVA TÃO BEM TREINADA PARA SERVIR DE COMPANHIA AOS VELHOS A PONTO DE A MULHER DA CASA ANUNCIÁ-LA COMO “EXPERIENTE”.
 

Vez em quando deusa-jambo viajava fim de semana para visitar a mãe huifa vinho da mesma pipa beleza consubstanciada huummm encantamento só; cuidado filha apre utopia sol na eira chuva no nabal hã contrário à razão; mãe-pítia; mas diacho quem sonha o impossível manda às urtigas todos eles oráculos pitonisas quejandos: ora mãe deixa ixe vida evanescente hã zás-trás súbito fiau! foz em fora; dito-feito; pena; queria que ela minha hoje bela adormecida aúpa férvida fagueira pressurosa hum vem meu poeta revelhusco hã mais ligeireza nelas pernas vem ufa vruummm quase pegamos pássaro enxundioso aquele ali na beira da fonte; deusa-jambo huifa olhar sorriso tudo nela atafulhado assim de vida; verdade amigo a-hã olhos trépidos outra vez; apre logo logo eu-você reclusos para sempre nele presídio puh consolo está na fala dela velha Hécuba euripidiana hã nenhum mortal é livre.    

Estudante mata colega a facadas pertinho dela escola. 

Entendi: amigo aí pensou tempos atrás em tirar zabaneira dele bordel a-hã morar juntos velejar no mesmo bote apre pandora (dux femina facti) ente coscuvilheiro zape! cortou indiretamente teia da vida dela puh vírus-obscuro-fulminante; sei sei nunca mais estremecimento ternura coisa nenhuma a-hã coração desnavegável; vida assim mesmo fiau! casa de cucos nas nuvens; verdade a-hã somos todos vítimas delas fraquezas imperfeições humanas hã súbito varremos do cenário seres que desde sempre oigalê! atraídos de modo irresistível; somos sim diacho despiedosos puh avidez sôfrega geocêntricos cousalousa; deusa-jambo exempli gratia huifa vem meu poeta revelhusco vem hum repousa rosto seu nele travesseiro-púbico-pulcro meu vem hum hum huummm; minutos antes de partir para ele imenso Incognoscível estarei certamente pensando nela; pensando neles momentos deleitosos aqueles em que ela deusa-ingenuidade-em-figura-de-gente dizia alto-bom-som ah meu poeta revelhusco você é uma pessoa doce muito doce; ela-eu ninguém conhecia in totum meu lado amargoso-impiedoso; já disseram alhures hã concordo puh maioria dos homens é má.  

Recado dele chefe da polícia secreta para outro tutumumbuca stalinista: você está encarregado de exterminar 10 mil inimigos do povo. Aguardo relatório. 

Amigo aí conheceu pai mãe nunca-jamais sei sei tia caionga cambaia cuidou modo de dizer a-hã assim que completou onze anos ixe momento supremo derradeiro alento pobre-diaba vruummm; pai mãe irmão parente nenhum apre entregue aos próprios recursos; difícil impossível talvez lidar com ela adversidade prematura; a-hã entrendi: menino-de-rua três longos anos pontilhados de peripécias; sei sei esquecer por enquanto detalhes funestos; a-hã pode ler em voz alta magistral Kawabata: POR CAUSA DO CALOR DO COBERTOR ELÉTRICO, A BELA ADORMECIDA ESTAVA DESCOBERTA ATÉ A OMOPLATA. AS CURVAS INGÊNUAS E ARREDONDADAS DE SEUS PEQUENOS OMBROS ESTAVAM BEM PRÓXIMAS, QUASE A TOCAR NOS OLHOS DE EGUCHI. ESSAS CURVAS CABERIAM NA PALMA DA MÃO DO VELHO, E ELE SENTIU TENTADO A APERTÁ-LAS, MAS SE CONTEVE.      

Entendi a-hã circo; último desejo do amigo aí seria assistir espetáculo circense qualquer sei sei recuperar infância perdida; poeta revelhusco aqui gostaria de conhecer huifa Grécia; desde sempre fascinado por eles pré-socráticos eh-eh refazer andanças peripatéticas dele Heráclito exempli gratia ixe morreu de hidropsia apre coberto de lama devorado pelos cães; impossível entrar duas vezes no mesmo rio; deusa-jambo jamais plus; Heráclito afirmava a estrutura movediça-contraditória dela realidade; tanto faz ser vivo morto hã desperto adormecido hã jovem velho hã essas coisas se transformam umas nas outras hã são de novo transformadas; Grécia… último desejo seria conhecer de perto terra dele efesiano aquele das combinações de elementos opostos; a-hã entendi: sonho do amigo aí insignificativo eh-eh desejo-xurumbambo; discordo: todos os sonhos puh iguais hã são como disseram alhures túneis que passam debaixo da realidade; circo hã também isso é ilusão; Grécia hã também isso é ilusão; deusa-jambo hã também isso é ilusão; oportuno citar Eclesiastes meu livrinho de cabeceira dentro deste camburão-esbraseamento-só; improfícuos todos eles esforços fiau! vida não vinga hã mais cedo mais tarde elas Parcas ave atque vale apre viver ixe navio nos cachopos; fatalmente; entendi: juntar todos os minutos fiau! oito nove dez horas se tanto de felicidade neles seus quarenta anos de existência; poeta revelhusco aqui ainda não parou pra pensou sobre mas diacho quinze dezoito vinte horas talvez.   

250 mil soldados britâncos e franceses morreram na campanha de Galípoli em 19l5. 

Apre tumba-catumba viagem tangantante diacho; sim amigo secura a-hã também estou puh garganta ressequida ixe curioso lembrar agora dela expressão cair água a cântaros; entendi: conchavo conluio pacto qualquer coisa com ele anhanga para receber em troca agora trapejar de água de cachoeira nele huifa corpo todo; fausto-aquoso eh-eh; também concluiria ajuste com ele capiroto mas para chamar à vida corpo jambístico incandescente dela minha deusa; uma única vez ficamos juntos debaixo do chuveiro hum vem meu poeta revelhusco vem huifa ducha gostosa-refrescante vem hã desde sempre fugidiço puh vergonha dele meu corpo ruvinhoso tábido hã ela jambo-em-flor eu maracujá-emurchecido; a-hã abarcar o céu com as mãos sei sei concordo amor aquele fiau! fora dos limites da possibilidade; natimorto; mas diacho azêmola aqui hã fim da vida puh fantasia imaginativa; apre camburão-fornalha ixe eu-você cozidos a fogo lento; sim verdade também acho que estamos chegando. 

Fervor fervura ixe lembrança atea lume consigna às chamas peito caramunheiro este aqui puh renasce minha deusa-jambo-fênix renasce dela minha saudade-cinza; sim amigo concordo irremediável hã rebeldia às leis naturais acontece amiúde nela literatura bíblica hã realidade gélida pura palpável fiau! neca neres delas combinações-ajustes com ela deusa-desgraça; parcas apre irrevogabilidade em figura de gente; corpo jambístico olhar prásino sorriso promissivo hã never more; vontade súbita de reler pequeno texto-consolador dele Baltasar Gracián que trago desde sempre nela carteira: A NATUREZA FOI ASTUCIOSA E TALVEZ MESMO DESONESTA QUANDO NOS TROUXE A ESTE MUNDO. FEZ-NOS CHEGAR SEM CONHECIMENTO E LOGO SEM DESCONFIANÇA. PORQUE NÓS VIMOS A ESTE MUNDO NO ESCURO E MESMO CEGAMENTE E COMEÇAMOS A VIVER SEM NOTAR QUE ESTAMOS VIVOS E SEM SABERMOS O QUE É A VIDA. ENQUANTO CRIANÇAS CALAM-NOS COM QUALQUER INFANTILIDADE, CONTENTAMO-NOS COM QUALQUER BRINQUEDO OU ADORNO SEM VALOR. PARECE-NOS TER ENTRADO NO REINO DA FELICIDADE, MAS NA REALIDADE SOMOS CATIVOS DA SORTE. NA ALTURA
EM QUE ABRIMOS OS OLHOS DA ALMA E COMPREENDEMOS QUE FOMOS ENGANADOS, ESTAMOS DESESPERADAMENTE ENREDADOS, PRESOS NA LAMA DE QUE SOMOS FEITOS. E O QUE PODEMOS FAZER ALÉM DE AVANÇAR NESSA LAMA E TENTAR ESCAPAR O MELHOR QUE PODEMOS? ESTOU CONVENCIDO QUE, SE NÃO FOSSE O ARDIL UNIVERSAL DA NATUREZA, NENHUM HOMEM OU MULHER DESEJARIA ENTRAR NUM MUNDO TÃO ENGANOSO E POUCOS ESCOLHERIAM CONTINUAR A VIVER. PORQUE QUEM ACEITARIA VOLUNTARIAMENTE PÔR OS PÉS NUM FALSO REINO E VERDADEIRA PRISÃO, APENAS PARA SOFRER TANTAS PENAS DIFERENTES? NO CORPO: FOME, SEDE, FRIO, CALOR, CANSAÇO, NUDEZ, DOR E DOENÇA; NO ESPÍRITO: ILUSÃO, PERSEGUIÇÃO, INVEJA, DESPREZO, DESONRA, TUMULTO, TRISTEZA, MEDO, RAIVA E DESESPERO. TUDO ISTO PARA, NO FINAL SER CONDENADO A UMA MORTE MISERÁVEL COM A PERDA DE TUDO: CASA, PROPRIEDADE, BENS, HONRAS, AMIGOS, PARENTES, IRMÃOS, PAIS E A PRÓPRIA VIDA, EXATAMENTE NO MOMENTO
EM QUE COMEÇAMOS A AMÁ-LA MAIS. A NATUREZA SABIA PERFEITAMENTE O QUE ESTAVA A FAZER E O HOMEM ACEITOU NA IGNORÂNCIA. SÓ QUEM NÃO TE CONHECE, Ó VIDA, TE APRECIA! MAS QUEM QUER QUE TENHA DESPERTADO PARA A VERDADE PREFERIRIA SER TRANSPORTADO DO BERÇO PARA O CAIXÃO, DO VENTRE PARA O TÚMULO. UM PRESSÁGIO COMUM DA DESGRAÇA SÃO AS LÁGRIMAS QUE CHORAMOS AO NASCER… E O TOQUE DE CLARIM COM O QUAL ESTE HOMEM, ESTA MULHER, ESTE REI OU RAINHA, ENTRAM NO MUNDO NÃO É SENÃO O CHORO, UM SINAL DE QUE O NOSSO ÚNICO REINO É O DA ANGÚSTIA. O QUE PODEMOS ESPERAR DE UMA VIDA QUE COMEÇA COM OS GRITOS DA MÃE QUE A DÁ E O CHORO DO FILHO QUE A RECEBE?; sim amigo Baltasar Gracián eh-eh jesuíta espanhol pensador do século XVII hã sabia ah como sabia que o começo da sabedoria reside no desengano. 
 

Vem meu poeta revelhusco vem gostoso sentir língua-pluma desapressada descendo palmo a palmo lento lento nuca abaixo hum vem visita tripetrepe numa lenteza suspirosa todo ele norte sul leste oeste dele meu reverso hum hum huummm; gostoso depois delas tangências lingüísticas mútuas huifa amansar a sede ouvindo estalido delas uvas geladas nele céu da boca; momentos edênicos elíseos aqueles hã clave de Hércules tombando provisoriamente sobre ela minha pirronice perpétua. 

Pássaro enxundioso negrura só ixe (presságio funesto) pousou na varanda de casa no dia em que eu tau! diacho estrépito dele meu revólver continua arquejando aqui neles meus ouvidos apre não há oferenda expiatória que dê jeito nela insuportável inquietação da consciência.  

A chamada peste negra (1346-1353) matou um terço da população da Europa Ocidental. 

Entendi a-hã amigo aí reincidente apre dois homicídios nos costados puh contubérnios-conchavos com anhangas de todos os naipes; perversidade inata; sangue sanhoso corre desde sempre nelas suas veias; a-hã merece viver para sempre nele fogo que nunca se extingue; sei não amigo sei não hã custa nada pedir clemência aos deuses-do-perdão; existem sim talvez estejam dentro delas árvores ou pedras ou lamas ou crosta do pão sabe-se lá eh-eh digo-repito custa nada evocar generosidade deles deuses-da-remissão-de-culpa hã súbito eles também levam em linha de conta que tudo diacho é mesmo culpa dela maldita Pandora.     

Ufa chegamos apre amigo por favor não interfira assim que poeta revelhusco aqui descer dele camburão hã você não perde por esperar aie aie aie aúpa arre lá! ninguém se aproxima veja hã arma dele guarda aí já está comigo apontada nela minha própria têmpora hã chega arre lá! agüento mais puh vida sem ela deusa-jambo fiau! trabalho de Sísifo teia de Penélope hã pião sem fieira sino sem badalo trapo entulho babugem arre lá! chega hã nunca mais sorriso talismânico dela nunca mais olhar-flama-de-inteligência dela nunca mais pêlos púbicos pulcros dela adeus tau!   

[…]

3 Comentários »

  1. […] 6 milhões de seres humanos foram exterminados durante os 12 anos de perseguição nazista contra os judeus. Leia mais… […]

    Pingback por Trabuzana - Capítulo I - do livro inédito: Pandora Maldita fecha logo essa caixa diacho « Mal de Montano — outubro 7, 2006 @ 8:43 pm | Responder

  2. […] Confira aqui o capítulo I – Trabuzana (ainda inédito), cedido por Evandro Affonso Ferreira para o Mal de Montano. […]

    Pingback por Entrevista - Evandro Affonso Ferreira « Mal de Montano — outubro 7, 2006 @ 8:55 pm | Responder

  3. TAU ! TAU ! TAU !
    Difícil ficar em pé depois do tiroteio literário do mestre Evandro!
    O homem metralhadora cospe fogo sem fim !

    Comentário por Márcio — outubro 13, 2006 @ 1:58 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: