Mal de Montano

maio 20, 2008

Site de concursos literários

Filed under: concursos,Mal do dia — maldemontano @ 3:19 pm

Procurando o quê fazer?

 

Entre no site de concursos e prêmios literários! Clique a cá hahahaha

Anúncios

maio 16, 2008

CONCURSO CULTURAL “CONTOS DO RIO”

Filed under: concursos,Mal do dia — maldemontano @ 6:05 am
Tags:

REGULAMENTO

1. Este concurso cultural é promovido pela INFOGLOBO COMUNICAÇÕES S.A. (Infoglobo), empresa sediada na capital do estado do Rio de Janeiro, à Rua Irineu Marinho, n 35, Cidade Nova, inscrita no CNPJ sob o n 00.396.253/0001-26 — possui caráter exclusivamente cultural, não havendo qualquer modalidade de sorte ou pagamento por parte dos participantes, não sendo, portanto, necessária a aquisição de qualquer produto, bem ou serviço, de acordo com o artigo 3, parágrafo II, da Lei n 5768/71 e com o artigo 30 do Decreto-Lei n 70.951/72.

2. O concurso “Contos do Rio” tem a finalidade de estimular a produção literária e incentivar a cultura, premiando obras inéditas que versem sobre o tema “carnaval”.

3. Este concurso é destinado exclusivamente a autores desconhecidos, maiores de idade, residentes e domiciliados no território nacional, que apresentem textos totalmente inéditos, ainda não publicados, incluindo, mas não se limitando a internet.

4. É vedada a participação de: (i) ganhadores de outras edições do concurso “Contos do Rio”; (ii) escritores consagrados nos meios de comunicação; (iii) escritores que tenham livros já publicados; e (iv) funcionários das empresas direta ou indiretamente envolvidos na organização deste concurso, suas subsidiárias, entidades afiliadas, consultores, agências, familiares (definidos como: pais, filhos, irmãos e esposas/os ou que residam no mesmo domicílio do funcionário).

5. Para os fins previstos neste regulamento, serão considerados autores desconhecidos aqueles que não tenham nenhum livro publicado até o último dia da inscrição neste concurso, seja ele de ficção ou não-ficção. Obras inéditas são aquelas que não tenham sido objeto de publicação até o encerramento deste concurso.

6. O prazo do presente Concurso tem início no dia 09 de fevereiro de 2008 e término no dia 31 de maio de 2008.

7. As inscrições das pessoas impedidas de participar deste concurso, quando identificadas, serão invalidadas e desclassificadas imediatamente.

8. Para concorrer, os participantes deverão enviar por correio à Infoglobo, para o endereço Caderno Prosa & Verso, Rua Irineu Marinho, n 35, 2 andar, Rio de Janeiro – RJ, CEP 20230-901, 06 (seis) vias impressas de um conto, cujo cenário seja o Rio de Janeiro, tomando como mote para o enredo ficcional o carnaval, observado o limite máximo de 5.600 caracteres (incluindo espaços).

8.1. Os contos devem ser assinados com pseudônimos. Dentro do envelope e juntamente com 06 (seis) vias do conto, deverá ser inserido um envelope menor lacrado com o pseudônimo subscrito do lado de fora do mesmo, contendo o nome verdadeiro do participante e seus demais dados como endereço completo, identidade, CPF, data de nascimento, e-mail e telefone para contato, de forma a permitir a identificação e a localização do participante inscrito.

8.2. Os participantes também poderão optar por efetuar a entrega dos contos, de acordo com o estabelecido nos itens 8 e 8.1 supra, na portaria da sede da Infoglobo, cujo endereço se encontra mencionado no item 1 acima.

9. Os contos enviados pelos participantes obrigatoriamente deverão estar correlatos ao tema proposto pelo concurso cultural e não possuir conteúdos que:

(i) possam causar danos a terceiros, seja através de difamação, injúria ou calúnia, danos materiais e/ou danos morais;
(ii) sejam obscenos e/ou pornográficos;
(iii) contenham dados (mensagens, informação, imagens) subliminares;
(iv) contenham dados ou informação que constituem ou possam constituir crime (ou contravenção penal) ou que possam ser entendidos como incitação à prática de crimes (ou contravenção penal);
(v) constituem ofensa à liberdade de crença e às religiões;
(vi) contenham dado ou informação racista ou discriminatória;
(vii) violem qualquer lei ou sejam inapropriados;
(viii) tenham intenção de divulgar produto ou serviço ou qualquer finalidade comercial;
(ix) façam propaganda eleitoral ou divulguem opinião favorável ou contra partido ou candidato;
(x) tenham sido produzidos por terceiros.

10. Somente serão aceitas inscrições que preencham todas as condições necessárias, realizadas dentro do período estabelecido no item 12 abaixo e através do procedimento previsto neste regulamento. Os dados fornecidos pelo participante, no momento de sua inscrição, deverão ser corretos, claros e precisos. São de total responsabilidade do participante a veracidade dos dados fornecidos à Infoglobo.

11. Cada autor poderá participar do Concurso “Contos do Rio” apenas uma vez e com apenas um conto.

12. O prazo de envio dos contos encerra-se no dia 31 de maio de 2008. Não serão aceitos os textos cuja data de postagem no correio ou entrega na portaria da Infoglobo ultrapasse esse dia.

13. Os contos serão analisados por uma Comissão Julgadora composta pela equipe do caderno Prosa & Verso do jornal O Globo, bem como por outros jornalistas convidados pela equipe, cujas decisões serão soberanas e irrecorríveis. É vedada a utilização de trechos ou totalidade de obras já publicadas. Uma vez constatada a utilização, o conto será desclassificado.

13.1. No caso de contos idênticos, enviados por participantes diferentes, será considerado como válido aquele com a data de envio mais próximo do início do concurso.

14. A avaliação dos contos será realizada com base nos critérios de adequação ao tema proposto, originalidade, criatividade, qualidade técnica empregada e ao respeito à limitação de caracteres especificado no item 8 acima.

15. Serão selecionados 10 (dez) contos, sendo que a premiação será da seguinte forma: (i) o autor do melhor conto receberá como prêmio um troféu e R$ 3.000,00 (três mil reais) em dinheiro, sendo considerado o grande vencedor do concurso “Contos do Rio”; e (ii) os autores dos outros nove contos selecionados serão premiados com um diploma. Todos os dez contos selecionados serão publicados no caderno Prosa & Verso do jornal O Globo, em data a ser oportunamente definida e informada aos vencedores.

16. A divulgação do resultado do Concurso, indicando os 10 (dez) contos selecionados, será no dia 02 de agosto de 2008, no caderno Prosa & Verso do jornal O Globo.

17. A divulgação do grande vencedor do concurso, bem como as entregas dos prêmios, ocorrerão na cerimônia de premiação promovida pela Infoglobo, em local e data a serem oportunamente definidos e informados aos autores dos contos selecionados. Na ausência de um dos vencedores, o prêmio será entregue à pessoa devidamente autorizada por escrito para esse fim.

18. A Infoglobo não será responsável por nenhuma despesa referente ao comparecimento do participante para a cerimônia de premiação mencionada no item 17 acima, incluindo mas não se limitando a locomoção, alimentação e estadia.

19. No caso de fraude comprovada o vencedor será excluído automaticamente do concurso e a Infoglobo terá o direito de premiar o participante subseqüente, conforme o ranking de colocados definido pela Comissão Julgadora, quando da apuração dos vencedores, desde que preenchidos os requisitos básicos constantes neste regulamento.

20. Os prêmios são pessoais e intransferíveis. Em hipótese alguma, os vencedores poderão trocar os prêmios ou recebê-los em dinheiro. Os vencedores deverão assinar uma declaração atestando o recebimento dos prêmios e a completa idoneidade do concurso.

21. Os participantes concordam em autorizar, por tempo indeterminado, o uso, pela Infoglobo, de suas imagens, som de voz e nomes em filmes, vídeos, fotos, anúncios em jornais e revistas para divulgação do Concurso “Contos do Rio”, além da publicação dos mesmos no jornal e na internet, sem nenhum ônus para a Infoglobo.

22. Eventuais dúvidas relacionadas com este concurso e seu regulamento podem ser esclarecidas através do e-mail: prosaonline@oglobo.com.br. As dúvidas oriundas deste regulamento serão julgadas pela comissão composta pela equipe do caderno Prosa & Verso do jornal O Globo e sua decisão será irrecorrível.

23. A participação neste concurso implica a aceitação total e irrestrita de todos os itens deste regulamento.

24. Para todos os efeitos legais, os participantes do presente Concurso declaram ser os legítimos autores dos contos inscritos e garantem o ineditismo dos mesmos, responsabilizando-se e isentando a Infoglobo de qualquer reclamação ou demanda que porventura venha a ser apresentada em juízo ou fora dele.

25. Todos os textos contendo os contos enviados, inclusive os vencedores, não serão devolvidos aos seus respectivos autores-participantes após o término deste Concurso, os quais, desde já, cedem, a título gratuito e definitivo, à Infoglobo, os direitos autorais patrimoniais de publicação dos contos, permitindo suas reproduções parcial e/ou integralmente e edições, se for o caso.

26. A Infoglobo reserva-se no direito de alterar qualquer item deste Regulamento, bem como interromper o Concurso, se necessário for, mediante prévio aviso de 05 (cinco) dias, por meio de comunicação destinada a todos os participantes efetivamente inscritos, os quais, caso não concordem com os termos alterados, poderão cancelar a inscrição de participação no Concurso, a fim de se liberarem das obrigações ora assumidas.

27. A participação neste concurso cultural não gerará ao participante e/ou contemplado nenhum outro direito ou vantagem que não estejam expressamente previstos neste Regulamento.

28. Este regulamento estará a disposição dos leitores no site do O Globo Online (http://oglobo.globo.com/blogs/prosa/) e na portaria da sede da Infoglobo até o término do concurso.

Concurso contos do Rio – Jornal o Globo e as maracu…

Filed under: concursos,Mal do dia — maldemontano @ 6:01 am
Tags:

XXIX Concurso Literário Felippe D’Oliveira – 2006

Filed under: concursos,Mal do dia — maldemontano @ 12:57 am
Tags: ,

 

Conto – Crônica – Poesia

Regulamento

1 – Participação:
1.1 – O Concurso Literário Felippe D’Oliveira, que visa homenagear a memória do poeta santa-mariense que lhe empresta o nome, bem como estimular novas produções literárias nas modalidades Conto, Crônica e Poesia, é dirigido a candidatos de nacionalidade brasileira, residentes no país ou no exterior.
1.2 – Objetivando dar oportunidade a novos valores, os candidatos classificados em primeiro lugar em cada modalidade do concurso ficam impedidos de concorrer nessa mesma modalidade pelo período de três (3) anos, a contar da data de premiação.
1.3 – Os candidatos poderão concorrer nas três (03) modalidades literárias – Conto, Crônica e Poesia, obedecendo a um limite de até três (03) trabalhos por modalidade.

2 – Inscrição:
2.1 – As inscrições estarão abertas durante o período de 25 de maio a 30 de junho de 2006, das 8h às 12h e das 13h às l8h, na Biblioteca Pública Municipal Henrique Bastide, na Av. Presidente Vargas, 1300, Santa Maria, RS, Brasil, CEP 97015 030.
2.2 – Para as inscrições feitas pelo correio, terá validade a data de expedição, comprovada através de carimbo postal.
2.3 – A inscrição de cada trabalho deverá ser efetuada separadamente através de ficha própria (em anexo), a qual poderá ser fotocopiada ou obtida através do site http://www.santamaria.rs.gov.br (neste caso deverá ser impressa em modelo paisagem). O preenchimento da ficha deve ser completo e vir datilografado ou em letra de forma.
2.4 – No caso de concorrer em mais de uma modalidade, o candidato deverá realizar a inscrição em cada modalidade separadamente, adotando um pseudônimo diferente para cada inscrição.
2.5 – Os trabalhos deverão ser encaminhados num disquete (1,44 MB) em cuja etiqueta constarão o título do texto, o pseudônimo do autor e a modalidade literária.
2.6 – O disquete deverá ser acompanhado por três (03) vias do texto, impressas em papel A4, digitadas no programa Word, em corpo 12, na fonte Times New Roman, espaço 1,5. No caso da modalidade Crônica, o texto deverá obedecer a uma extensão máxima de (03) laudas.
2.7 – A ficha de inscrição e o disquete deverão ser colocados num envelope pequeno, identificado externamente pela ficha nº 2 (em anexo). Esse envelope e as três vias impressas deverão ser depositados num outro, tamanho ofício, no qual será afixada a ficha nº 1 (em anexo), devidamente preenchida.

3 – Seleção:
3.1 – A seleção e premiação dos trabalhos será realizada por uma Comissão Julgadora composta de três (3) membros para cada modalidade, residentes ou não em Santa Maria e indicados pela Secretaria de Município da cultura, ouvidas as instituições e entidades ligadas à área de Letras.
3.2 – A identificação dos concorrentes será feita após a decisão da Comissão Julgadora, quando os envelopes fechados que acompanham os trabalhos serão abertos.

4 – Premiação:
4.1 – O primeiro colocado em cada modalidade receberá um prêmio no valor de R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais) e certificado.
4.2 – Aos candidatos que obtiverem 2º e 3º lugares em cada modalidade serão conferidos certificados.
4.3 – Será concedido um prêmio de incentivo local em cada modalidade, dirigido exclusivamente a candidatos naturais de Santa Maria ou residentes na cidade há mais de dois (02) anos. Essa premiação somente se dará mediante a apresentação de comprovante de residência ou documentação afim.
4.4 – O valor do prêmio de incentivo será de R$ 1.000,00 (mil reais) em cada modalidade.
4.5 – Caso a seleção do vencedor em âmbito local recaia sobre o 1º colocado em âmbito nacional, este não terá direito ao Prêmio-Incentivo.
4.6 – A critério da Comissão Julgadora, poderão ser atribuídas até três (3) Menções Honrosas em cada modalidade.

5 – Publicação:
5.1 – Os três (3) primeiros trabalhos classificados em cada modalidade serão publicados, em forma e data a serem posteriormente anunciadas.
5.2 – Os trabalhos distinguidos com Menção Honrosa poderão também ser publicados, para o que os selecionados cederão os direitos autorais.
5.3 – A entrega dos prêmios será feita em agosto, em Sessão Solene do Mês da Cultura de Santa Maria e durante a semana do aniversário do poeta Felippe D’Oliveira.

6 – Disposições Gerais:
6.1 – No ato das inscrições, o participante aceitará, implicitamente, todas as disposições deste regulamento.
6.2 – As decisões de seleção e premiação das comissões de cada categoria terão caráter irrecorrível.
6.3 – Os trabalhos inscritos e não selecionados deverão ser retirados num prazo de 20 (vinte) dias seguintes à premiação, na Biblioteca Pública Municipal Henrique Bastide. Após essa data, serão encaminhados para as cooperativas de materiais recicláveis.
6.4 – Os casos omissos serão decididos soberanamente pela instituição promotora.

7 – Cronograma:

7.1 – Inscrições: 25 de maio a 30 de junho de 2006.
7.2 – Seleção e classificação dos trabalhos: 04 de julho a 04 de agosto de 2006.
7.3 – Divulgação do resultado: 11 de agosto de 2006.
7.4 – Premiação: 23 de agosto de 2006.

maio 15, 2008

Obra coletiva escrita pela Internet

Filed under: concursos,Mal do dia — maldemontano @ 1:17 am

será publicada na Bienal do Livro de SP

Beto Scliar/Folha Iamgem

Membro da Academia Brasileira de Letras, Moacyr Scliar escreveu o primeiro capítulo de “Livro de Todos”

Um livro criado coletivamente pelo público por meio da Internet será uma das ações promocionais da 20ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que acontece em agosto. Chamada “Livro de Todos”, a iniciativa será aberta entre 16 de maio e 16 de junho.

O livro, cujo primeiro capítulo foi criado pelo escritor Moacyr Scliar, começa com a história do garoto Bruno, que tenta recuperar seu computador, misteriosamente roubado. O público poderá participar da criação da obra por meio do site www.livrodetodos.com.br, com textos que darão continuidade à história.

A partir do dia 16 de maio, quando o site do projeto estará disponível na Internet, uma equipe de editores vai receber e avaliar as sugestões dos leitores e publicar diariamente uma seqüência escolhida.

De acordo com a organização, o site estará disponível para receber as contribuições de até 8.000 caracteres todos os dias das 14h às 24h. Até às 14h do dia seguinte, a comissão de avaliação dos textos, comandada pelo jornalista Almir Gajardoni, deverá divulgar a continuação do livro.

“Quando recebi o convite, aceitei imediatamente e já mandei o texto para os editores no dia seguinte”, explicou Moacyr Scliar na tarde desta terça-feira (13), em evento de apresentação do projeto em São Paulo. “Acho que o computador pode contribuir para inovar nas expressões literárias, e essa iniciativa mobiliza o aspecto lúdico da literatura, incentiva a ligação entre o autor e o escritor. Estou muito curioso para saber como a história vai continuar”, observou o escritor que criou o primeiro capítulo de “Livro de Todos”.

Depois de encerrada a participação do público, em 16 de junho, o livro será publicado pela editora Imprensa Oficial – com uma tiragem inicial de 3.000 exemplares – durante a Bienal do Livro de São Paulo, em agosto. De acordo com Hubert Alquéres, diretor da Imprensa Oficial, “Livro de Todos” tem a proposta principal de atingir o público jovem.

“Esperamos com essa iniciativa atrair a adesão de mais pessoas para a Bienal e também incentivar um contato maior com a literatura”, explica Rosely Bochini, presidente da Câmara Brasileira do Livro, co-produtora da iniciativa ao lado da Imprensa Oficial e da agência de publicidade DM9.

A 20ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo acontece entre os dias 14 e 24 de agosto no Pavilhão de Exposições do Anhembi e tem expectativa de receber mais de 800 mil visitantes.

 

 

maio 13, 2008

O chinês e os pratinhos

Filed under: crônica,Montanas,Outros Escritos — maldemontano @ 1:30 pm
Tags: ,

Outro dia ouvi a confissão de uma amiga: não quero mais ser pratinho. Quero é ser o chinês.

Não entendi, tive vergonha de perguntar. Pensei ser gíria de gente nova e é nessas e outras que a gente entrega a idade. Não resisti, no entanto, a curiosidade a corroer.

Ela, então, explicou.

Tem homens (e ela estava falando em termos do gênero masculino, mas acho que vale para os dois) que mantém várias paqueras/relacionamentos/casos como os pratinhos que o chinês roda com varetas. Ele fica ali, rodando um pratinho, até que sente que outro está caindo. Ele então corre para este outro e agita a vareta. O pratinho começa a girar de novo, no ritmo do chinês. Até que ele vê outro que está quase caindo e se dirige para lá. E assim por diante, de modo que nenhum cai.

Achei a metáfora sensacional e me perguntei quantas vezes já fui pratinho na vida. Muitas, concluí. Chinês mesmo acho que nunca.

Minha amiga diz que quer ser um, mas eu duvido. Sei disso porque quando arruma um pratinho, fica satisfeita só com ele, rodando-o sem interrupção, com cuidado para que não caia jamais. E o pratinho, por sua vez, sendo o único, gira seguro, sem o menor medo de cair.

A metáfora é maravilhosa porque é verdadeira, retrata bem os relacionamentos atuais. Ao mesmo tempo é triste justamente porque é verdadeira e retrata muito bem os relacionamentos atuais.

Ando me imiscuindo na filosofia. O porquê disso não vem ao caso. Cada um recorre ao que lhe parece mais interessante para tentar ser mais feliz. A propósito, o livro do Alain de Botton chamado “As consolações da filosofia”, que mostra os motivos pelos quais grandes filósofos enveredaram por este caminho, que vão desde a falta de dinheiro, até desilusão amorosa, passando pela inadequação social.

Pois bem. Andei lendo André Comte-Sponville.

No delicioso livro “A felicidade, desesperadamente” explica ele, citando o pensamento de alguns filósofos da antiguidade: a pessoa só é feliz quando tem o que deseja. Acontece que desejo é falta; só desejamos o que não temos. Quando obtemos o que desejamos, continuamos sem ser felizes porque a felicidade é ter o que se deseja e não o que se desejava.

Complicado. Claro que ele propõe algo contra o círculo vicioso e aí vamos ao livro. Muito melhor lê-lo do que se contentar com parcas linhas de resumo.

Só sei que pensando nisso e relacionando com a história do chinês e seus pratinhos, vejo que os homens, e isso falo no sentido lato, só têm vontade de rodar o pratinho quando ele está caindo. Só deseja, portanto, o que falta, ou no caso, o que está quase faltando. O mais difícil, no entanto, é desejar o que se tem e, conseqüentemente, ser feliz com isso. Voltando ao nosso exemplo: rodar “o” pratinho (e não “um” pratinho), com dedicação e eficiência e sentir prazer nisso, mesmo ele estando lá firme, sem perigo de cair.

É isso o que eu quero: uma interação tal, que não importe ser o chinês ou o prato.

Queria aconselhar minha amiga a tentar também, mas não sei se me escutará, tão obcecada está com o objetivo de passar de pratinho a chinês.

Fica a torcida para que ela acesse o blog e leia a crônica.

por Selena Carvalho

maio 8, 2008

Festival da Mantiqueira

Filed under: concursos,Mal do dia — maldemontano @ 2:10 pm
Tags: ,

acesse o site e participe!: http://www.cultura.sp.gov.br/StaticFiles/Mantiqueira/index.html

São Francisco Xavier, o charmoso distrito de São José dos Campos, vai respirar literatura durante três dias. Escritores consagrados estarão perto de seus leitores para conversar sobre um assunto que os une: o amor à literatura

A Secretaria de Estado da Cultura promoverá este encontro durante o Festival da Mantiqueira – Diálogos com a Literatura, que será realizado nos dias 30, 31 de maio e 1º de junho. Nestes três dias, os autores falarão de suas obras, debaterão com o público, autografarão livros e muito mais.
Estudantes, professores e profissionais de bibliotecas com acesso público, escolhidos em concurso promovido pela Associação Paulista dos Amigos da Arte (APAA), participarão de oficinas exclusivas. Acesse o site da APAA e se inscreva!
Participarão do evento os escritores Milton Hatoum, Marçal Aquino, Marcelo Rubens Paiva, Nelson Motta, Zuenir Ventura, Mario Prata, Alice Ruiz eMarcelino Freire, entre outros. Também estarão presentes, a diretora de cinema Suzana Amaral, as cantoras Fernanda Takai, Alzira Espíndola e Kátia B.
A programação será realizada em duas tendas montadas na praça central de São Francisco Xavier. Em uma delas, será instalada a livraria, com livros dos autores presentes no evento, entre outros, espaço onde acontecerão as sessões de autógrafos. A segunda sediará os Diálogos com escritores e outros convidados. Também serão realizados debates temáticos: Diálogos Literatura e TV, Diálogos Literatura e Bossa Nova e Diálogos Literatura e Cinema.
Para complementar o Festival, serão realizados shows musicais e programações infantis, como teatro de bonecos e contação de histórias.

CONHEÇA ALGUNS CONVIDADOS

MILTON HATOUM

Nascido em Manaus em 1952, Milton Hatoum lecionou literatura na Universidade do Amazonas e na Universidade da Califórnia, em Berkeley (EUA). Estreou em 1989 comRelato de um Certo Oriente, seguido de Dois Irmãos, ambos ganhadores do prêmio Jabuti de melhor romance e publicados em oito países. Por Cinzas do Norte (2005), recebeu seu terceiro Jabuti e os prêmios Bravo!, APCA e Portugal Telecom de Literatura de 2006.

——————————————————————————–

MARCELO RUBENS PAIVA

Marcelo Rubens Paiva nasceu em 1959, em São Paulo. É escritor, dramaturgo e jornalista. Estudou na Escola de Comunicações e Artes da USP e fez mestrado na Unicamp. Um de seus romances mais conhecidos é Feliz Ano Velho, lançado em 1982 e ganhador do Prêmio Jabuti.

——————————————————————————–

NELSON MOTTA

Nelson Motta nasceu em São Paulo, em 1944, mas adotou o Rio quando tinha apenas 6 anos de idade. Jornalista, crítico musical, compositor, produtor de discos e descobridor de talentos da MPB, ele é também escritor de sucesso. Seu mais recente livro, Vale Tudo – O som e a Fúria de Tim Maia , da editora Objetiva, já vendeu mais de 110 mil cópias e está na lista das obras mais vendidas de não-ficção desde o lançamento, em novembro de 2007.

——————————————————————————–

ZUENIR VENTURA

O escritor e jornalista Zuenir Ventura nasceu em 1º. de junho de 1931. Entre seus livros mais conhecidos estão 1968 – O Ano que Não Terminou e A Cidade Partida . Nessa obra, que mostra o drama vivido pelo Rio de Janeiro na luta contra o tráfico de drogas, Zuenir Ventura surpreendeu o Brasil expondo uma realidade que, até então, os estudos acadêmicos só tangenciavam.

——————————————————————————–

MARIO PRATA

Mario Prata nasceu em Uberaba, em 1946. Vive em São Paulo, onde se consagrou como jornalista, roteirista, dramaturgo e escritor. É autor de novelas de sucesso, comoEstúpido Cupido e Sem lenço, Sem Documento, e de best-sellers como Schifaizfavoire, Mas será o Benedito?, Minhas Mulheres e meus Homens, Os anjos do Badaró (primeiro romance brasileiro escrito online, com a participação dos leitores) e Minhas tudo.

——————————————————————————–

MARÇAL AQUINO

Marçal Aquino nasceu em Amparo, no interior paulista, em 1958. Publicou, entre outros livros, O Amor e Outros Objetos Pontiagudos, Faroestes, O Invasor, Famílias Terrivelmente Felizes, Cabeça a Prêmio e Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios. Foi roteirista dos filmes Os Matadores, Ação Entre Amigos, O Invasor, Nina e Crime Delicado.

——————————————————————————–

SUZANA AMARAL

A diretora Suzana Amaral começou sua carreira de cineasta com mais de 30 anos de idade. Fez o primeiro curso de cinema da Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Nova York. Durante a década de 1970, realizou diversos curtas-metragens, mas se consagrou em 1985 com A Hora da Estrela , baseado no romance homônimo de Clarice Lispector.

——————————————————————————–

MARCELINO FREIRE

Marcelino Freire nasceu em Sertânia (PE), em 1967, e vive em São Paulo desde 1991. É autor, entre outros, dos livros Angu de Sangue e Contos Negreiros, este último vencedor do Prêmio Jabuti 2006. Em 2004, idealizou e organizou a antologia Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século. Prepara para julho deste ano o lançamento do seu volume de contos RASIF – Mar que Arrebenta. Mantém o blog http://www.eraodito.blogspot.com.

——————————————————————————–

IVANA ARRUDA LEITE

Ivana Arruda Leite é mestre em Sociologia pela Universidade de São Paulo, autora dos livros de contos: Falo de Mulher e Ao Homem que Não me Quis, este indicado ao prêmio Jabuti em 2006. Escreveu também a novela Eu te Darei o Céu – e Outras Promessas dos Anos 60 e o juvenil Confidencial – Anotações Secretas de uma Adolescente. Participou de inúmeras antologias, entre as quais: Geração 90: os Transgressores. Adaptou clássicos infantis e foi responsável pela coluna Mulher na Revista da Folha, do jornal Folha de S. Paulo, em 2004. Mantém o blog: http://www.doidivana.wordpress.com.

——————————————————————————–

ALICE BANDINI

Alice é arte-educadora com habilitação plena em Artes Cênicas pela Faculdade Mozarteum de São Paulo e vários cursos voltados para a área de leitura e contação de histórias. Alice é contadora de histórias e integra a equipe do Setor de Programas e Projetos da Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, onde é responsável por desenvolver projetos, promover, selecionar e contratar atividades para as 54 bibliotecas da rede, tarefa que desempenha há oito anos. Em 2007 apresentou o trabalho Biblioteca Pública Como Real Espaço de Leitura: Desafios e Conquistas no 16º. Congresso de Leitura do Brasil (COLE) na UNICAMP/SP.

——————————————————————————–

ALICE RUIZ

Nascida em Curitiba, no ano de 1946, Alice Ruiz é poeta, letrista, tradutora e publicitária. Entre seus livros publicados estão: Navalhanaliga (1980), Dez Haikais (tradução de poetas japonesas, de 1981), Nuvem Feliz (infantil, de 1985) e Desorientais (haikais, de 1996). Alice também é parceira de músicos como Itamar Assumpção, Arnaldo Antunes, Waltel Branco, Zeca Baleiro, Alzira Espíndola, Chico César e José Miguel Wisnik, entre outros.

——————————————————————————–

FERNANDA TAKAI

A cantora Fernanda Takai, vocalista da banda Pato Fu, nasceu na Serra do Navio (AP), mas se onsidera mineira de coração. Ela integra a banda há15 anos cantando, compondo e tocando. Lançou nove CDs e três DVDs. Fernanda também se dedica à literatura e acabou de lançar o livro Nunca Subestime uma Mulherzinha, reunião de contos e crônicas publicados pela autora nos jornais Correio Braziliense e O Estado de Minas. Em seu show, no Festival da Mantiqueira, Fernanda cantará canções do repertório de Nara Leão.

Blog no WordPress.com.