Mal de Montano

outubro 2, 2007

Morre o poeta Bruno Tolentino

Filed under: Mal do dia,Montanas — maldemontano @ 7:01 pm
O poeta-polêmico Bruno Tolentino se vai.  Vivedor confesso. Sofredor também. Um poeta angustiado que a vida o desafiava e ele às pessoas. Assim como polemizava o outro se punha no fogo diariamente. Se foi Tolentino, o menino mimado que punha a ampulheta em suas mãos. Brincava com os dias, com o pulsar do sangue. Vaidoso não mais que todos, corajoso em dobro. Bruno não tinha nada a perder, pois já havia perdido de si o otimismo de acreditar em “felicidade humana”, besta, medíocre. Bebia das horas os momentos, para sover as alegrias passageiras (só essas existem de fato). Afiava a fala para derrubar rotinas. Era um Simão Bacamarte procurando seus pares. Neste país de analfabetos ficou marcado pela personalidade auto-falante; e  era também isso, pois sabia que o Brasil precisava de pessoas como ele. Certa vez disse (referindo-se à obra O mundo como Idéia) “houve sempre em mim esse problema entre aceitar o real, verificar a realidade tal como ela é, o mundo como tal e essa atração pelo mundo como idéia. Este é um livro auto-antídoto. É a história de uma diagnose e cura”. 

Se foi Tolentino, o homem erudito que mal encontrava interlocutores por aqui.  Mais um solitário. Menos um poeta literalmente vivo. Você fará falta!

Por Pandora Montana 

“Em meio a um tão animado bundalelê, meus amigos, eu não prefiro esta ou aquela universidade, prefiro ler Dante e aguardar a Paurosia, afinal, que os mutantes se divirtam, eu creio no Divino Espírito Santo, na Santa Igreja Católica Apostólica, na remissão dos pecados, na comunhão dos santos, na ressurreição da carne e na vida eterna, Amém”. Bruno Tolentino

____________________________________


 

Morre o poeta Bruno Tolentino

Agência JBRIO – O poeta Bruno Tolentino, vencedor de dois prêmios Jabuti (“As horas de Katharina” e “O mundo como idéia”) e eleito intelectual do ano de 2003 pela Academia Brasileira de Letras (Prêmio José Ermírio de Moraes), faleceu hoje aos 66 anos. A causa da morte foi falência múltipla de órgãos, segundo o atestado de óbito emitido pelo hospital Emílio Ribas, de São Paulo, onde Tolentino estava internado há um mês.

Apesar de ser conhecido por sua poesia, Tolentino também foi jornalista, professor e polemista. Nascido em 12 de novembro de 1940, em uma tradicional família carioca, desde criança conviveu com intelectuais e escritores, aprendendo a falar inglês e francês com fluência. Em 1964, com o golpe militar, foi viver na Europa. Na Inglaterra, Bruno ocupou o cargo de professor nas Universidades de Oxford e Essex. Em 1987, sob a acusação de tráfico de drogas, foi condenado a 11 anos de prisão. Durante 22 meses cumpriu sentença em Dartmoor. Retornou ao Brasil em 1993, causando grande barulho com ataques tanto ao concretismo – em especial, os irmãos Campos, Haroldo e Augusto – como a letristas da MPB como Chico Buarque e Caetano Veloso.

[ 13:33 ]   27/06/2007
Anúncios

1 Comentário »

  1. Querida, você sabe que eu não tinha vindo aqui… aliás, faz tempo que não passo aqui. Preciso de fôlego para ler tantas notícias boas, tanto texto compilado num só lugar. Maravilha!

    Comentário por Alena Cairo — outubro 5, 2007 @ 11:39 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: