Mal de Montano

novembro 6, 2006

IRMÃOS LAEMMERT

Filed under: Mal de Antano,Mal do dia — maldemontano @ 2:40 pm

 

Os precursores da edição de livros no Brasil

 

Em busca de novos mercados, alguns livreiros-editores se transferiram para o Brasil na primeira metade do XIX.

 

A primeira a chegar foi a Livraria Universal. fundada em 1833 por Eduard Laemmert – a quem, cinco anos mais tarde, juntou-se o irmão Heinrich -, ela foi tão bem sucedida que logo abandonou o perfil exclusivo de loja para se tornar também editora. Em 1837 Eduard comprou três impressoras, viajou a Paris para aprender tipografia e em 2 de janeiro de 1838 inaugurou a Tipografia Universal. O negócio progrediu a tal ponto que o faturamento cresceu trinta e uma vezes em apenas vinte anos.

  

Num enorme casarão da rua dos Inválidos trabalhavam, em 1859, cento e vinte pessoas, que imprimiam mil folhas por dia. Na oficina de encadernação, outros cinqüenta homens produziam cinco mil livros encadernados por mês, além de quatorze mil brochuras. Elogiada pelos operários e com os méritos reconhecidos pelo próprio imperador (que em 1862, fes uma visita oficial à casa), a Tipografia Universal baseou muito do seu êxito no Almanaque Laemmert – no me pelo qual ficou conhecido o Almanaque administrativo, mercantil e industrial da corte e província do Rio de Janeiro. Nascido como uma despretenciosa folhinha literária em 1839, bem mais completo que os concorrentes, não demorou a cobrir notícias de todo o Império, e em 1875 saiu com nada menos do que 1700 páginas.

  

Embora o Almanaque tenha sido o carro chefe da editora, outros livros contribuíram para o êxito da Universal. A maioria eram guias de bolso que ostentavam títulos de grande apelo popular, como Dicionário de medicina doméstica, Sucintos conselhos às jovens mães para o tratamento racional de seus filhos (ambos de Theodore Langgaard, médico dinamarquês radicado no Brasil), Coleção completa de máximas, pensamentos e reflexões, do marquês de Maricá, e Seleções de poesias dos melhores poetas brasileiros desde o descobrimento do Brasil. Obras técnicas e acadêmicas também tinham vez, como Navegação interior do Brasil e Estudos de literatura contemporânea.

  

Os Laemmert publicavam ainda livros traduzidos do francês, mas seu forte foram os originais alemães. Editaram Goethe (Amorosas paixões do jovem Werther) e foram pioneiros na literatura infantil, com As viagens de Gulliver, Contos seletos das mil e uma noites e Aventuras pasmosas do celebérrimo Barão de Münchausen, alguns traduzidos por nomes famosos como Capistrano de Abreu e Olavo Bilac. Outro campo no qual a Universal se aventurou, embora pouco, foi o dos livros didáticos Por que me ufano do meu país, de Afonso Celso, escrito para celebrar os quatrocentos anos do descobrimento do Brasil, teve a primeira edição esgotada em alguns meses e tornou-se leitura obrigatória nas escolas secundárias.

  

A livraria Universal fechou suas portas em 1909, logo depois do incêndio que lhe destruiu a biblioteca e os arquivos. Em 1910, os direitos de publicação dos livros foram negociados com a Francisco Alves, e o almanaque acabou sendo vendido ao português Manuel José da Silva. Em 1942, outro incêndio pôs um ponto final na trajetória do Almanaque. A tipografia, com o nome de Gráfica Laemmert, continuou funcionando e voltou a editar em 1970. Mas, dos Laemmert, só guardou o nome.

  

(Momentos do livro no Brasil)

Fonte: Jangada Brasil Almanaque

Anúncios

6 Comentários »

  1. Olá Boa Tarde!!
    Sou pesquisadora, poeta, carioca da Ilha do Governador e atualmente resido no município de Rio Claro/RJ, onde nossas histórias foram publicadas através de livros antiquissimos dessa Editora, na época GRAFIcA LAEMMERT LIMITADA, RUA CARLOS DE CARVALHO, 48 RIO DE JANEIRO.
    Trabalho na Prefeitura de Rio Claro, como assessora da 1ª dama do municipio, e estamos interessadas em saber como podemos conseguir o livro A IGREJA MATRIZ DE SAO SEBASTIÃO DA BARRA MANSA (1859-1959)(historia eclesiastica da paroquia e da diocese), publicado em 1960 por sua Gráfica.
    Desde já agradecemos a atenção dispensada.
    Deixamos nosso telefone (24) 3332.1196 (Lisa)

    Comentário por Lisabete Lopes Loureiro — novembro 23, 2009 @ 2:05 pm | Responder

  2. Esqueci de falar o nopme do autor RSRSRSRSRSRSR
    aUTOR: – J.B.de ATAHYDE
    ABRAÇOS

    Comentário por Lisabete Lopes Loureiro — novembro 23, 2009 @ 2:10 pm | Responder

  3. Quem é dono hoje dos direitos de traduções feitas para a editora Laemmert em 1969. tenho interesse na divulgação de uma tradução feita por josé bolivar. É possível encontrá-lo ?

    Comentário por Douglas Anfra — março 29, 2010 @ 12:27 pm | Responder

  4. Olá, gostaria de ter alguma informação sobre um título publicado pela Laemmert em 1966: AO MAR de CORALINA BARROSO

    Comentário por DERLY SIQUEIRA — março 29, 2013 @ 2:35 pm | Responder

    • Sra. Derly, gostaria de falar com a Sra. sobre a Sra. Coralina Barroso, favor entrar em contato pelo telefone (61) 99115 8722 – Emerson. Obrigado!

      Comentário por Emerson — setembro 27, 2016 @ 4:03 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: