Mal de Montano

outubro 7, 2006

Trabuzana – Capítulo I – do livro inédito: Pandora Maldita fecha logo essa caixa diacho

Filed under: Montano por um dia — maldemontano @ 8:43 pm

 olhodepandorasol.jpg

Por Evandro Affonso Ferreira

Tau! cortei num átimo teia da vida dela; ciumaria; apre tarântula dele ciúme tripetrepe rasteja desde sempre nele meu peito; zuruo-zoropitó sim amigo concordo sou sim arre lá! quero falar mais não chega ixe pudesse jogava passado meu aos ventos aos cães cousalousa. 

 

 

Tântalo tutumumbuca frígio aquele apre cortou seu filho Pélope em pedaços servindo-o à mesa num banquete oferecido aos deuses. 

 

 

Sim amigo huifa fulgente resplandecente huummm se Rembrandt Goya quejandos conhecessem minha deusa-sorriso-lítio-olhar-prásino ixe frenesi pictórico daqueles; sim amigo concordo terreno resvaladiço espada de Dámacles aie impossível relacionamento deste naipe não caminhar para o ocaso; a-hã escamurrengado puh 70 e um anos; tenho sim; ela huifa tinha 20 e sete; florescência da vida diriam poetas contemporâneas dela minha juventude; não neca neres engano seu amigo; gostava sim; amor verdadeiro mutatis mutandis a-hã deixamos nunca-jamais nenhum traço de hesitação; antes dela minha deusa-enternecedora hã vida toda apre recheada delas pequenas insignificâncias; depois huifa significação ampla luminosidade absoluta; sim amigo a-hã aie estrada sinuosa tortuosa que tais puh viagem será longa. 

 

 

Tempos idos indivíduos da raça humana lançaram a primeira bomba atômica sobre a cabeça de 150 mil seres da mesma espécie.   

 

 

Ufa incandescência daquelas apre camburão-calor-abrasador ixe viagem longa-vulcânica diacho; sim amigo a-hã seis meses de mimosura huifa olhar-sorriso dela minha-deusa-êxtase lançava incontinenti azeite ao fogo; rejuvenescência amigo rejuvenescência; antes dela zás-trás apresentar-se pela primeira vez aos meus olhos hã dizia ad nauseam alto-bom-som que envelhecer é catalogar perdas; hoje seis meses depois puh sou obrigado a insistir nele adágio pirrônico: envelheceer é catalogar perdas; precisaria diacho decorar cantos dos arvais para conjurar todos eles lêmures assassinos que desarvoram ainda mais meus pesadelos noturnos; Pandora maldita fecha logo essa caixa diacho; sim amigo aceito bituca dele seu cigarro huummm ixe minha deusa-verdor-dos-anos estivesse aqui agora diria com voz filípica apre meu doce avelhantado lembre-se dela sua tosse intermitente; tau! som dele estalido do revólver continua zunindo aqui neles meus ouvidos dia todo noite inteira semana toda; quero morrer amigo hã vida agora fiau! desnecessária; sim empresto meu livrinho de cabeceira a-hã A CASA DAS BELAS ADORMECIDAS huummm Kawabata ixe pobre-diabo cortou ele mesmo fio dela própria vida; arakiri; A CASA DAS BELAS ADORMEDIDAS… não é exatamente um livro eh-eh é uma pequena-singela caixinha de jóias raras… Kawabata… huifa… magistral… a-hã empresto sim. 

 

 

6 milhões de seres humanos foram exterminados durante os 12 anos de perseguição nazista contra os judeus. Leia mais…

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: