Mal de Montano

setembro 27, 2006

Poesia de Ronaldo Cagiano

Filed under: Montano por um dia,Poesias — maldemontano @ 4:09 pm

EXÍLIOS

(à moda de Cassiano Nunes) 

A cidade se des(d)enha em seus próprios labirintos:

pelas serpentes de pedra e asfalto

corre pressuroso um rio de animais metálicos. 

Não há mais lugar para os homens.

anônimos, como areia na ampulheta,

vamos caindo, atarefados,

em busca da outra margem: a utopia. 

A metrópole, como um ventre,

espera o desconhecido

e na solidão geométrica  

nascem catedrais de ausências. 

Se Paris está lendo Paulo Coelho,

eis minha vingança:

vou ler Proust em Cataguases.

Anúncios

1 Comentário »

  1. Gostaria de manter contato com o autor.
    Sou secretário da Prof. Sophie – Coordenadora da FE-USP.

    Abraço,

    Comentário por aRNALDO MONTEIRO — dezembro 4, 2006 @ 6:04 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: